RESILIÊNCIA: A ARTE DE RESINIFICAR ÀS TEMPESTADES DA VIDA

resilience

 Resiliência é nossa capacidade de acumular energia quando somos exigidos ou submetidos aos testes de resistência. Precisamos ser resilientes em situações de crise, tendo fé e equilíbrio para realizar nossos objetivos.

Desenvolvemos resiliência à medida que assumimos a responsabilidade sobre nossa vida; que elevamos nossa estima de modo a enfrentar desafios e adversidades; aceitamos mais riscos, muitas vezes nos expondo, como o único caminho para se diferenciar; aumentamos nossa capacidade de adaptação.

Todos nascemos com talento/habilidade. Descobri-lo é dar sentido à vida. E independente de ter ou não ocupação formal, ou da condição social, ter resiliência nos auxiliará nas adversidades. Muitas vezes exigindo que resinifiquemos aquela experiencia, aparentemente negativa, mas que certamente tem algo a nos ensinar.

A questão é que, na maioria das vezes, estamos olhando para nossos pontos fracos, pensando que não somos merecedores, pensando no que deu errado, entre outras preocupações na mente. Na verdade, deveríamos estar buscando de soluções criativas e inovadoras.

Já enfrentei todo tipo de adversidade. Teve momentos que realmente achei que não sairia daquela crise/situação. Mas, a resiliência me fortalecia a cada dia, e fui descobrindo que a saída estava comigo. Não estava com o banco, com outras instituições e pessoas. Somente eu seria capaz de tomar a decisão de romper com as amarras que me impediam de avançar. Hoje vejo que falta isso a maioria das pessoas.

De modo geral, a resiliência está associada ao otimismo; ao atribuir um sentido à vida; à empatia (se colocando no lugar do outro para analisar como faria naquela mesma situação); fortalecer o relacionamento familiar; ampliar o círculo de amigos; buscar apoiadores com as competência necessárias para seguir junto em direção ao seu objetivo; desenvolver o equilíbrio.

Estes são temas que tenho trabalhado para palestras: resinificar experiências na perspectiva do crescimento e da realização pessoal e profissional. Assim, contribuirei com muitos que atravessam situações similares sem nenhum auxílio ou troca de experiência capaz de impulsioná-lo, e consequentemente não desistir.

Sejamos resilientes, pois às tempestades sempre passam. E a única certeza é que tudo está em constante mudança.

 

Inocência Manoel – Fundadora INOAR Cosméticos

“QUANDO NÓS MUDAREMOS ISSO? VIVENDO SOB O MEDO, ATÉ NÃO RESTAR MAIS NADA”

maes solteiras
imagens do Google

A partir do momento em que a família é dissociada, surgem os problemas sociais. Atacam eminentemente nas áreas carentes, onde não há pai e avô, é mãe e avó. E, por isso, torna-se realmente uma fábrica de elementos desajustados que tendem a ingressar nessas narco-quadrilhas”, disse, no início da semana, general Mourão, candidato a vice-presidente na chama de Jair Bolsonaro.

Associar o crime às “mães solteiras” é uma afronta a todas às mulheres, à sociedade brasileira, composta e mantida por elas em diferentes atividades profissionais e domésticas. Me sinto ultrajada, e não aceito desculpas construídas como estratégias de “gestão de crise” para que esqueçamos o que foi dito. É inadmissível!!!

Segundo a PNAD (Pesquisa Nacional por amostra de Domicílio) de 2015 (última realizada), 42% dos domicílios no Brasil são chefiadas por mulheres — a maioria de solteiras. Ou seja, em torno de 30 milhões de famílias têm mulheres como referência, e estima-se que apenas um terço delas tenham um cônjuge ao seu lado.

Criei meu filho sozinha, como auxilio de minha mãe. Portanto, mãe e avó juntas. Isso só nos fortaleceu como família. Meu filho é CEO de uma empresa global, com presença em mais de 40 países. Temos políticas de empoderamento de mulheres (agora também com cursos de barbeiro para homens) através do programa Beleza Solidária, além de uma série de ações junto à entidades como Instituto Chico Mendes, entre outras.

Às mulheres são guerreiras, lutam para sustentar filho e casa, trabalhando duramente. O que leva jovens para o crime é um Estado que não cumpre seu papel com à educação, sempre reduzindo recursos. Somente à Educação é capaz de mudar a história de um país. Na verdade, o Estado pune duplamente os que não têm condições de frequentar à escola: primeiro não estabelecendo políticas públicas capazes de reduzir os índices de evasão. Segundo, quando manda esses jovens para “escolas de crimes”, que são os presídios. Por que não se fala dessas estatísticas? Quantos reincidem no crime porque há muito o sistema prisional não ressocializa, está falido?  Mas, esta é ainda a saída em programas de candidatos às eleições 2018.

Teria muito para refletir, mas prefiro perguntar: “QUANDO NÓS MUDAREMOS ISSO? VIVENDO SOB O MEDO, ATÉ NÃO RESTAR MAIS NADA”. O vídeo de Tina Turner, na sequência, traduz um pouco de nossa impotência diante do cenário politico que vive o Brasil hoje.

 

Tina Turner, que também foi criada pela avó materna, como eu; que também criou seu filho sozinha durante um período, na trilha sonora do filme “Mad Max e a Cúpula do Trovão”. É de mulheres assim, General Mourão, que a vida é feita. De mulheres que sempre vão lutar, resignificar e reconstruir sobre às vicissitudes da vida. Não aceitaremos o retrocesso moral com adoção de regras primitivas. Não abriremos mão da jovem democracia brasileira, ainda frágil certamente, mas com muitos dispostos a defendê-la. Essa não é uma questão do mercado. É uma questão social, política, econômica.

“Será que nossa história brilhará como uma luz? Ou terminará no escuro?”

#EleNão – mulheres na luta por um país que realmente possa avançar em direção ao futuro. Não queremos uma “Cúpula do Trovão” onde os conflitos (sociais) sejam resolvidos em duelos de morte. Queremos uma sociedade onde possamos criar nossos filhos, realizar nossos sonhos e evoluir, como homens e mulheres em busca da liberdade de ser e agir.

 

Inocência Manoel é meu nome. Aqui e no mundo!

INOAR PORTUGAL/EUROPA, BEAUTY FAIR/SÃO PAULO E MUITO +

_DAN7406

Saudades que estava de meu blog.
Aqui compartilharei às ações/eventos da INOAR Portugal/Europa. Mas, antes, embora muitos tenham acompanhado, tenho que comentar sobre a Beauty Fair, que aconteceu entre 8 a 11 de Setembro (razão de minha ausência), no Expo Center Norte, São Paulo.

A Beauty Fair é reconhecida como a maior feira de beleza profissional das Américas, além de promover diversos eventos, ao longo do ano, que desenvolvem e fortalecem todos os elos da cadeia produtiva no segmento de beleza.

Com stand de 1.000 m2, chegamos à Beauty Fair 2018 com dez lançamentos 100% veganos, entre linhas para os cabelos e os kits de Limpeza Facial, Cuidado Diário e Cuidados com o corpo, assinados pela apresentadora Sabrina Sato, garota-propaganda da linha de Dermocosméticos.

Também marcaram presença no palco da INOAR o ator Bruno Gissoni e Dr. Rey, que contagiaram o ambiente, causando alvoroço entre os visitantes do stand.

Não há como traduzir o empenho de toda Equipe da Inoar que garantiu mais esse sucesso total. Em ação ousada num tempo de recuo da maioria dos segmentos no país, tanto pela “instabilidade política” devido às eleições, como alta do dólar, entre outras questões econômicas, à INOAR reposicionou a marca se apresentado ao mercado com o que tem de mais original: a força de seus ingredientes naturais. É nosso DNA estar sempre inovando. Os lançamentos apresentados foram criados com base na filosofia de respeito aos indivíduos, aos animais e ao meio ambiente. Daí serem 100% veganos.

Há dois anos integramos à lista do PETA (Associação de Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais) de empresas “livres de crueldade” (cruelty free), e vegana para sua linha de produtos capilares. Isso significa que nossos produtos passam por testes, mas nunca em animais. Tais aspectos éticos é que devem ser resgatados em uma sociedade hiperconectada, mas que busca sua essência no que é belo, verdadeiro e simples.

O próximo post será sobre oportunidades e o potencial de crescimento da INOAR Portugal/Europa, onde estou neste momento.

 

Inocência Manoel – Fundadora INOAR Cosméticos

TEMPO E DESTINO

PHOTO-2018-09-03-12-53-04 (1)

Quanto tempo temos para fazer as mudanças que queremos? Concretizar nossos sonhos? Força para lutar pelo que acreditamos? Tempo não é eterno, e cada vez mais  rápido nos impõe à angustia da escolha.

Este tema vem após o que ocorreu na noite de domingo, 02/09, no Rio Janeiro: incêndio do Museus Nacional. O quinto maior acervo do mundo. Até que ponto não somos conivente com tudo o que está se fazendo com o patrimônio nacional? O que estamos pensando com relação às eleições 2018 que pode melhorar/mudar tal quadro?

A INOAR está às vésperas da Beauty Fair, um dos eventos mais importantes de beleza, mas não há como não comentar o descaso com incêndio no Museu Nacional, que não só transformou em cinzas parte de nossa memória, mas à memória da humanidade. Afinal, a História é universal, embora ocorra nesse ou naquele território.

Cada hora surgem novas informações sobre o que “virou cinza”, mas compartilho essa lista, certamente incompleta, que recebi de um grupo de cientistas, sobre o que tinha no Museu Nacional do RJ:

• A maior coleção de meteoritos do Brasil (Incluindo o famoso Meteorito de Bendengó encontrado em 1784, pesando 5.260kg).
• Minerais e rochas catalogados desde 1790.
• O primeiro vegetal fóssil coletado no país.
• Exemplares da fauna fóssil das eras Mesozoica e Cenozoica.
• Esqueletos completos de espinossauro, dinodontosauro e preguiças-gigantes.
• Luzia, o mais antigo fóssil humano já encontrado nas Américas.
• A maior e mais antiga coleção de arqueologia egípcia da América Latina.
• Afrescos provenientes de Pompéia.
• Artefatos de civilizações ameríndias da era pré-colombiana.
• As únicas múmias indígenas encontradas em território brasileiro.
• 30.000 objetos de cem grupos indígenas de todas as regiões do Brasil.
• Acervo de etnologia africana pertencente a Dom João VI.
• Manto e colar reais de povos do Oceano Pacífico da coleção de Dom Pedro I.
• Além do Palácio em estilo neoclássico residência da família imperial brasileira.

Arte, cultura são nossos maiores patrimônios. Até quando assistiremos o sucateamento da memória nacional enquanto os recursos públicos são alocados (quando não desviados) para interesses do mercado financeiro, especulativo, ou outros na esfera privada?

Há uma música de Pink Floyd que traduz muito o “desprezo” que temos pelo tempo, que no final é quem traça o nosso destino: “Time”. Ela foi animada por Walt Disney com o surrealismo de Salvador Dali. Vale a pena assistir.

 

Inocência Manoel – Fundadora INOAR Cosméticos

INOAR COSMÉTICOS E O ESPÍRITO DO TEMPO

vegan

Se observarmos à natureza veremos que tudo muda o tempo todo. Enquanto parte dela também estamos em constante mudança. Certamente que alguns mudam nesse movimento natural, outros resistem mais às mudanças. Mas, a única certeza é que tudo está em mutação constante, e hoje isso é mais observável pelo “tempo digital”. O que certamente deixa muitos inseguros, pois é difícil definir o que está em constante mudança.

Dizem os especialistas que as transformações tecnológicas hoje são a maior revolução da história da humanidade, e seu impacto infinitamente superior à revolução industrial no século XIX. Daí que temos sentido maior necessidade de busca por nossas origens, nossos antepassados, para, em certo sentido, preservar uma identidade.

Venho fazendo tal processo: resgatando minha história, minha origem, as coisas que sempre gostei de fazer. Somos resultado da miscigenação étnica-cultural que transformou as Américas há pelos menos 15 mil anos quando datam os primeiros registros de presença humana. Mais, recentemente, há pelo menos 518 anos (oficialmente o descobrimento do Brasil), é que houve a ocupação efetiva do território por europeus. Antes disto, as Nações indígenas habitavam aqui em harmonia com à natureza.

Há, pelos menos três traços étnicos em minha família que vão influenciar para sempre nossos hábitos: Portugueses, Espanhóis e Índios. Minha avó materna era índia no Mato Grosso. Saber de minhas origens indígenas me faz entender o gosto pelas plantas, por mexer na terra, pelas flores, os frutos, animais, cuidado e preservação da vida, solidariedade, etc.

Ter convivido muito com ela, e morado no interior do Estado de São Paulo, me remete aos rituais cotidianos simples com o uso de plantas, ervas. No cabelo a babosa logo virava um néctar no fortalecimento dos fios. O chá de camomila para enxague e um pouco de sol mantinham o cabelo mais claro. Às máscaras esfoliantes com azeite de oliva e açúcar para uma pele sem manchas e lisa.

As pessoas fazem uso de muitas receitas para cuidados pessoais e de beleza sem saber que são veganas, orgânicas, naturais, entre outros conceitos. Isso porque é intuitivo. Tal memória ancestral, o resgate que tenho feito de minhas origens, também tem se traduzido na empresa. A marca INOAR Cosméticos está se reposicionando na busca por maior integração com à natureza, que somos parte enquanto seres, e não superiores a ela, como já mencionei em outro post neste blog.

Na Beauty Fair 2018 apresentaremos produtos à base de flores, plantas, ervas, óleos (que sempre foi nosso forte), entre outros ingredientes naturais, orgânicos e veganos. Certamente que produzidos com o melhor da tecnologia em indústria cosmética, mas todos alquimicamente trabalhados para o êxtase dos sentidos. São aromas, texturas e cores que conectam os tempos: a origem e as transformações, o passado e o futuro no espírito de um tempo que se pretende eterno: o agora.

 

Inocência Manoel – Fundadora INOAR Cosméticos

 

 

NATUREZA FARTA PARA PRODUÇÃO DE COSMÉTICOS

lindssima

A abundância da natureza é algo que nos fascina. Com simplicidade, o reino vegetal, nos presenteia com suas milhares de cores, formas, texturas, aromas, causando sensações inesquecíveis.

Há uma parte da indústria cosmética que vem buscando produzir com matérias primas naturais, orgânicas e veganas. Não só para aproveitar da biodiversidade, mas também, e principalmente, por que os consumidores estão cada vez mais exigentes quanto à fabricação de produtos que respeitem à vida, à natureza. O que se convencionou chamar “consumo consciente”. Pesquisas qualitativas têm mostrado que o consumo de produtos com ingredientes naturais, como flores, por exemplo, têm maior identificação devido à memória olfativa, despertando o desejo de “usar esses cheiros no corpo, cabelo e rosto.” “É como nos misturar, sintonizar com tanta beleza.”

Entretanto, o fator que também tem redirecionado à produção industrial de cosméticos é o engajamento (maior ou menor) na questão da sustentabilidade do planeta. Os recursos são esgotáveis, muitos, aliás, escassos ou em extinção. Usá-los com responsabilidade é garantir sua continuidade para que gerações futuras também possam ver e viver essa experiência.

Tudo que a natureza produziu/produz é perfeito. Estamos produzindo maravilhosas linhas de tratamento que serão lançadas na Beauty Fair 2018 (Expo Center Norte – 9 a 11 de Setembro). São tantas novidades que nosso Centro de Pesquisas Científicas tem trabalhado muito e com foco total no conceito de beleza natural, orgânica e vegana. AGUARDEM, mas principalmente, nos visitem na Beauty Fair. FALTAM 18 dias.

 

Inocência Manoel – Fundadora INOAR Cosméticos

TENDÊNCIAS DE CONSUMO COSMÉTICOS

images (9)

O mercado global de cosméticos veganos têm perspectiva de crescimento de 6,3% até 2025, projetando um faturamento de US$ 208 bilhões de dólares, conforme relatório do Grand View Research, Inc.

Veganos, como já dissemos em outro post aqui no blog, são os produtos fabricados sem matéria prima de origem animal, respeitando o direito destes enquanto seres vivos. Portanto, extinguindo qualquer pratica de exploração ou crueldade animal. E como uma natureza tão vasta, em 4 estações que se renovam justamente para contribuírem no ciclo da vida, de fato, as práticas de desrespeito aos animais é a barbárie em termos de evolução.

A consciência em consumir produtos veganos obriga à indústria rever seus processos de produção, explorando e pesquisando outros ingredientes, ativos, conceitos, comportamentos e desse modo melhor atender seu público consumidor ou potencial. Isso por que cada vez mais compreendemos o delicado equilíbrio da vida, onde cada parte tem seu papel.

Detalhes sobre mercado vegano, veja o link.

http://www.cosmeticosbr.com.br/conteudo/article/mercado-global-vegano-de-cosmeticos-deve-atingir-us-208-bilhoes-ate-2025/

 

Inocência Manoel – Fundadora INOAR Cosméticos